Normalmente os animais apresentam pH ácido na superfície cutânea e isso tem uma importância fundamental de manter íntegra a barreira epidérmica. A defesa antimicrobiana, é indispensável para a homeostase da permeabilidade da barreira epidérmica e mantém a integridade/coesão do estrato córneo.

No homem, sabe-se que muitas doenças dermatológicas, incluindo dermatite atópica e dermatite seborreica, estão associadas a um aumento do pH do estrato córneo. Este aumento do pH afeta por consequência a manutenção da barreira epidérmica e a integridade/coesão do estrato córneo.

Ligeiras alterações no pH da pele podem resultar em manifestações clínicas mais graves ou prolongadas ou até mesmo dermatoses ocupacionais resistentes. O conhecimento do pH de pele dos cães é importante na medida em que nos permitirá realizar escolhas a nível de agentes acidificantes tópicos mais bem fundamentadas, possibilitando um aumento da eficácia terapêutica, bem como um ajuste mais específico das terapêuticas tópicas perante a diferenciação do pH cutâneo de diferentes raças.